Minha Casa Minha Vida – Cadastro, Inscrições

Para que mais brasileiros tivessem a chance de alcançar a tão sonhada casa própria, o Governo brasileiro desenvolveu em 2009 um programa voltado para promoção de habitação, subsidiando a aquisição de casas e apartamentos próprios para famílias de baixa renda, sendo ele o Minha Casa Minha Vida.

banner Minha Casa Minha Vida

Com o Minha Casa Minha Vida o brasileiro pode ter acesso a casa própria com mais facilidade, possibilitando conseguir um sonho que em muitos dos casos é inviável devido a baixa renda do cidadão, sendo para o programa aceito rendas de até 1,8 mil reais mensais familiares.

Para famílias com condições financeiras mais elevadas, o Minha Casa Minha Vida ainda trabalha como forma de facilitar a aquisição do imóvel, sendo para famílias com renda mensal de até 9 mil reais.

As inscrições para o programa são abertas periodicamente, e é preciso ficar atento para não perder a oportunidade de realizar o sonho da casa própria. Para te ajudar trouxemos hoje um material completo que traz tudo o que você precisa saber sobre o Minha Casa Minha Vida. Então, vamos lá!

Como funciona o Minha Casa Minha Vida?

Como funciona
Como funciona o programa?

O programa Minha Casa Minha Vida se desenvolve de forma a criar oportunidades para os brasileiros que precisam e buscam ter a casa própria com melhores chances de negociações mais amigáveis, com parcelas que cabem no bolso, sem exigências de alta renda para isso e ainda condições especiais, bem abaixo do atual mercado imobiliário.

Muitas famílias brasileiras hoje em dia vivem de aluguel, sendo considerada para essas famílias de baixa renda como uma das maiores despesas da casa. Conseguir com o Minha Casa Minha Vida condições mais facilitadas de alcançar a casa própria com parcelas menores até que um aluguel em média podem ser uma saída muito boa.

O programa Minha Casa Minha Vida se adequa a realidade financeira do indivíduo, trabalhando com diversos tipos de financiamento de acordo com a renda da pessoa. Os juros aplicados são em geral bem menores, sendo a chance perfeita de conseguir a casa própria com facilidade e sem muita burocracia do mercado imobiliário.

Vale ainda levar em consideração que dependendo de como o indivíduo lide com as parcelas do financiamento, se em algum momento deixe de pagá-las ficando em estado de inadimplência, existe a possibilidade nesse caso de perder o imóvel, sendo um dos processos necessários para manter o financiamento e a casa em mãos.

O indivíduo precisa ainda estar em dias com as demais contas ligadas à sua moradia, sendo elas as taxas que são cobradas mensalmente referentes a valores de água, energia ou ainda taxas de condomínio. Caso ele não pague e fique em estado de inadimplência, corre o risco de perder a casa financiada.

Existem dois tipos de financiamento do programa Minha Casa Minha Vida, recebendo valores regulados de acordo com o perfil familiar de cada pessoa e levando em consideração esses dois tipos, sendo eles Habitação Urbana, para casas na área urbana, e Habitação Rural, para moradias no campo.

Quem pode participar do Minha Casa Minha Vida?

os prédios para programa minha casa minha vida

Para participar do programa Minha Casa Minha Vida é necessário que o indivíduo esteja enquadrado dentro de alguns pré-requisitos necessários, sendo eles delimitadores para compreender se aquela pessoa realmente precisa do financiamento, assim liberando ele mediante inscrição prévia.

Como o programa é de financiamento é preciso primeiro conhecer a realidade da família financeiramente falando com a comprovação de renda, indo a seguir para os próximos passos que abrem financiamento de acordo com a renda dessas pessoas, dividindo ainda nos dois tipos do programa, para Habitação Rural ou Urbana.

Para Habitações Urbanas

Quanto a Habitações Urbanas, há quatro tipos de financiamento conhecidos como faixas, sendo eles a faixa 1, 1,5, 2 e 3, com as seguintes características:

  • Faixa 1: Famílias com renda de até R$1.800,00, tendo chance de financiamento parcelado em até 120 meses, com prestações mensais que variam entre R$80,00 a R$270,00.
  • Faixa 1,5: Família com renda de até R$2.600,00, tendo chance de financiamento com taxa de juros de até 5% por ano, com até 30 para pagar o imóvel, conseguindo até R$47.500,00 de financiamento.
  • Faixa 2: Famílias com renda de até R$4.000,00, tendo chance de financiamento com subsídios de até R$29.000,00.
  • Faixa 3: Famílias com renda de até R$7.000,00, tendo chance de financiamento com taxas de juros diferenciadas e condições especiais mediante consulta a Caixa (Site da caixa aqui).

Para Habitações Rurais

Para financiamento de Habitações Rurais, o indivíduo pode receber subsídios para reformar a sua própria moradia ou ainda construir uma nova, garantindo uma moradia digna, existindo para isso 3 grupos de financiamento diferentes, sendo eles:

  • Grupo 1: Famílias com renda de até R$17.000,00, com subsídio concedido pela OGU, onde os valores das primeiras parcelas só ficam disponíveis após a entrega do imóvel, cerca de dois meses depois.
  • Grupo 2: Famílias com renda de R$17.001,00 a R$33.000,00, com financiamento de 12 meses para reformar ou construir a moradia, com juros de 5% ao ano e financiamento que pode chegar a até R$30.000,00.
  • Grupo 3: Famílias com renda a partir de R$33.001,00 até R$78.000,00, com prazo de 7 a 10 anos para pagar, contando a partir do término da obra.

Quem leu este artigo também gosta:

Onde se inscrever no Minha Casa Minha Vida?

mudanças para minha casa minha vida

Para se inscrever no programa Mina Casa Minha Vida é preciso primeiro estar enquadrado dentro de alguns pré-requisitos de participação, sendo eles:

  • Não ter casa em seu nome e nem financiamento em algum imóvel;
  • Não pode ter sido beneficiado anteriormente por algum programa de habitação do Governo;
  • Para autônomos, é preciso comprovar renda em detalhes e mostrar o carnê do INSS;
  • Necessidade de renda de até três salários mínimos, levando em consideração o valor vigente no ano;
  • Apresentação do comprovante de renda, carteira de trabalho e contracheque atualizado.

Você se inscreve quando realiza o cadastro, que pode ser feito na Caixa ou órgãos de assistência social do seu município. Para famílias com renda de R$1.800,00 o cadastro deve ser feito e há a necessidade de participar de um processo de seleção. Para famílias com renda mensal de até R$7.000,00 é preciso se dirigir a Caixa e verificar condições.

O cadastro é o início de processo de participação no programa, sendo necessário apresentar neste dia documentação de Identidade, CPF, Certidão de Nascimento ou Casamento, Comprovante de renda, extrato do FGTS e Declaração de Imposto de Renda.

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *